edição 2013

clique e confira o PODCAST 2013

O Porto Musical

O Porto Musical é o mais importante e consolidado encontro para profissionais de música no Brasil. Com seminários, speed-meetings, mesas-redondas e shows, chega a sua sétima edição na cidade do Recife, em Pernambuco, entre os dias 10 e 13 dezembro de 2014.

Consolidado e com visibilidade internacional no calendário bienal de profissionais dos dois setores, estimula a criação de redes, troca de conhecimentos, contatos e geração de negócios. O evento é formatado por conferências que ocorrerão no Cine Teatro Apolo-Hermilo, no Bairro do Recife, na Torre Malakoff ficam as salas de produção, imprensa, internet, salas de reuniões e encontros, criando uma circulação histórica dentro do Bairro do Recife Antigo. Os showcases, gratuitos na Praça do Arsenal da Marinha, Bairro do Recife, mostram ao público geral e em especial aos participantes do evento as tendências musicais para os mercados brasileiro e internacional.

A relevância dos convidados e das discussões são pilares do Porto Musical. Desde sua primeira edição, em 2005, importantes nomes do espectro da cultura promovem debates, encontros e ações transformadoras para os cenários locais, nacionais e internacionais, visto que tanto os expositores quanto o público que participa das conferências movimentam tal mercado. O Porto Musical reúne representantes de selos, gravadoras, sites, artistas, promotores e agentes musicais, festivais e instituições culturais, gestores públicos e privados, além de pessoas interessadas nas novas tendências do mercado da música.

O encontro de profissionais propicia não só a qualificação dos mesmos para trabalharem seus produtos e serviços, mas a realização de negócios durante os dias de evento, afirmando um intercâmbio profissional para a difusão da música.

O formato do Porto Musical, baseado nas conferências e mesas redondas, permite o destaque ao conteúdo trazido pelos palestrantes que, além de exporem seus conhecimentos, participam da troca de informações com o público durante todo o evento, fortalecendo as discussões que colocam em pauta a economia da cultura e sua importância para o desenvolvimento do setor da música no Brasil e no exterior. Falam e ouvem no Porto Musical profissionais brasileiros que lançam produtos para o exterior e estrangeiros que trazem produtos para o mercado brasileiro, tecnólogos com novas plataformas ligadas à música para o mercado, estudiosos, pesquisadores e acadêmicos que trabalham temas ligados à música, comunicadores da cultura, imprensa, poder público e privado, artistas, entre tantos outros.

Os chamados speed meetings, ou reuniões rápidas, são oportunidades onde participantes tem acesso direto, em rápidas conversas individuais, com conferencistas ou profissionais da área de música para assuntos de interesse específico. Dessa forma, estreitamos as relações de negócios entre os profissionais, que podem trabalhar seus produtos com exclusividade. Por fim, o shows realizados em praça pública mostram artistas da

música brasileira e internacional, promovendo sua difusão e consolidando a exportação da música brasileira. Dessa forma, os elementos que compõem a programação do Porto Musical atuam em função do entendimento da natureza e dos processos que caracterizam o mercado cultural.

A última edição em 2013 : Tomando como exemplo os grupos integrantes da programação da sexta edição do Porto Musical, o grupo pernambucano Bongar foi atração convidada da Womex deste ano. O Bongar, inclusive, fez show na AME no Cabo Verde e durante a Womex fechou contrato com um agente para representá-los fora do Brasil, importante passo para desenvolver uma carreira internacional. Felipe Cordeiro e a banda Bixiga 70, também atrações de 2013, entraram na programação do Roskilde Festival após suas apresentações no Porto Musical. São resultados de ações da convenção para estimular a criação de redes de profissionais, trocar conhecimentos, fazer contatos e gerar negócios.

Ao longo das suas seis edições, o Porto Musical ofereceu cerca de 170 conferências, com quase 250 convidados e 80 shows de artistas contemporâneos. Mais de 4.000 profissionais já participaram das conferências e encontros do Porto Musical e mais de 50 mil pessoas assistiram seus shows.

A realização do Porto Musical é assinada pela Fina Produção e Astronave Iniciativas Culturais em cooperação com a WOMEX e Porto Digital.

O PORTO DIGITAL E O PORTO MUSICAL

O Porto Digital é um dos pilares da nova economia do Estado de Pernambuco. Sua atuação se dá em duas atividades altamente intensivas em conhecimento e inovação, que são software e serviços de tecnologias da informação e comunicação e a economia criativa, em especial os segmentos de games, multimídia, cine-vídeo-animação, música, design e fotografia.

Atualmente, o Porto Digital abriga 240 empresas e organizações de serviços associados, 3 incubadoras de empresas, 2 instituições de ensino superior e 2 institutos de pesquisa. Entre as instituições, encontra-se o C.E.S.A.R – Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife, considerado por duas vezes a melhor instituição de Ciência e Tecnologia do País pela FINEP – Financiadora de Estudos e Projetos do Ministério da Ciência e Tecnologia.

O Porto Digital foi considerado o maior do País em 2005, pela consultoria internacional AT Kearney. E considerado o melhor do Brasil, pela Anprotec (associação nacional dos parques tecnológicos) nos anos de 2007 e 2011. Isso garante ao Recife um lugar de destaque no cenário dos parques tecnológicos brasileiros. Além disso, a Associação Internacional de Parques Científicos classificou o Porto Digital como referência internacional na sua publicação Learning by Sharing, publicada no ano de 2008. Em função deste reconhecimento, o Porto Digital abrigou em outubro de 2013 o Congresso Mundial dos Parques Tecnológicos, encontro que reúne os parques de tecnologia de diversos países.

O Porto Digital é parceiro fundamental do Porto Musical, deste de sua criação, segundo Chico Saboya, Presidente do Porto Digital : "O Porto Musical é uma daquelas iniciativas que somente com o tempo a gente vai descobrindo sua grandeza. Desde seu lançamento, há cinco-seis anos, foi e continua sendo um projeto inovador, visionário e corajoso. Andar contra o senso comum não é pra qualquer um! O Porto Musical é muuuito relevante para a economia da cultura no nosso estado! Só precisa ser 'capturado' em sua grandeza pelos agentes públicos e pelo mercado para se transformar num canal perene de promoção de negócios que tem na criatividade musical seu fundamento. E olha que essa mercadoria, rara em muitos lugares, é abundante em Pernambuco. Vida longa ao PM!! "

A WOMEX E O PORTO MUSICAL

A WOMEX é a convenção internacional mais importante da música mundial. Esta feira reúne profissionais do mundo de diversas raízes e também inclui concertos, conferências e documentários . Contribui para a rede como um meio eficaz de promoção da música e da cultura de todos os tipos através das fronteiras”.

UNESCO Aliança Global para a Diversidade Cultural

Nascida em Berlim e acontecendo por toda a Europa, a 19 ª edição da WOMEX , em Cardiff , País de Gales , Reino Unido, em outubro de 2013, viu mais de 2.250 delegados de 90 países , 590 empresas expositoras, um programa completo da conferência e um festival vitrine apresentando mais de 60 atos em sete etapas.

Dezenove edições da WOMEX afirmaram o valor do trabalho em rede através das fronteiras, sejam elas musicais, políticas, culturais ou comerciais. Desde 1994 a WOMEX tem viajado por toda a Europa a partir de Berlim (1994), através de Bruxelas (1995) , Marselha (1997), Estocolmo (1998), Berlim (1999 + 2000) , Rotterdam ( 2001) , Essen (2002 + 2004) , Newcastle (2005) , Sevilha (2003 + 2006-2008) , Copenhagen ( 2009-2011) , Thessaloniki (2012 ) e Cardiff ( 2013). A próxima edição da WOMEX terá lugar em Santiago de Compostela, Galiza, Espanha, de quarta-feira 22 a domingo, 26 de outubro de 2014.

“Porto Musical é o primeiro Projeto Especial WOMEX, criado em 2005, estabeleceu-se como uma plataforma de rede importante para todos os jogadores do setor de música. Estamos ansiosos para a realização desta cooperação com a Fina, Astronave e Porto Digital.”, Christine Semba, WOMEX.

Edições Anteriores

Conferências

1. A distribuição digital da música nas mídia on-line – Marc Benaiche (França)

2. A democratização da música eletrônica na era digital - Ady harley (Reino Unido)

3. Qualifique seu conteúdo – Stefanie Marcus (Alemanha)

4. Música é uma forma de vida? – John Perry Barlow (EUA)

5. Distribuição digital: uma questão de mudança da hábito ou de comportamento? – Felippe Llerena (Brasil)

6. Por dentro do groove digital – Marc Benaiche, Ady Harley, Stefanie Marcus, John Perry Marlow , felippe llerena

7. Tecnologia musical em Pernambuco – Geber Ramalho e Silvio Meira (Brasil)

8. Como obter sucesso no mundo da música – Gerald Seligman (EUA) e Robert Urbanus (Reino Unido)

9. Caranguejos com cérebro: A cena mangue do Recife – Hélder Aragão a.k.a DJ Dolores (Brasil)

10. Relato da evolução da cena eletrônica, através das agências, clubes e festivais – Marcos Boffa (Brasil)

11. A cadeia produtiva da música no Brasil - Luis Carlos Prestes Filho (Brasil)

12. Adquirindo licenças de música para uso online e móvel – Dr. Jur. Martin Schaefer (Alemanha)

13. Inovações tecnológicas e seus reflexos na criação musical e no sistema de regulação de direitos autorais - Caio Mariano (Brasil)

14. The Creative Commons e as novas formas de colaboração criativa – Ronaldo lemos e Cláudio Prado (Brasil)

15. Realizando trunês no Brasil com o Guia do Mercado Brasileiro da Música – Bruno Boulay (França/Brasil)

16. Incentivos Fiscais no Brasil: Fonte de custeio para a música? – Cristiane Olivieri (Brasil)

17. Entendendo a distribuição de música no Brasil – Assuntos-chave da promoção à taxação – Eduardo Muszkat (Brasil)

18. Lançando Artistas estrangeiros (Carlos Eduardo Miranda (Brasil)

19. Como montar um escritório de exportação de música nacional – A experiência de um ano do German Sounds – Peter James (reino Unido / Alemanha)

20. Produtores de discos: Mais barato que terapia? – Bem Mandelson (Reino Unido)

21. Nadando entre tubarões: como construir uma estrutura global para a sua gravadora local – Bettina Schasse de Araújo (Alemanha)

22. A música brasileira na Europa – Jenny Adlington e Jody Gillet (Reino Unido)

23. Festivais franceses e o Ano do Brasil – Bertrand de Laporte (França)

24. As melhores práticas para entrar no mercado norte-americano através de rádio, imprensa, televisão e e-commerce de downloads

digitais – Sean Barlow (EUA)

25. Selos independentes no Brasil, um bom caminho? – Silvio Pellacani (Brasil)

26. O atual desafio do direito autoral no Brasil – Fernando Yasbek (Brasil)

27. ABMI- A rede de independentes brasileiros – Pena Schimidt (Brasil)

28. Re:Combo – Uma experiência na criação coletiva, descentralizada e aberta – H.D. Mabuse (Brasil)

29. A nova indústria cultural e musical na China e na África – Dagfinn Bach (Noruega)

30. Games: uma trilha para a música – André Araújo (Brasil)

31. Cifras virtuais?! Partituras?! Karaokê?! Como ganhar dinheiro com o ensino da música na internet – Américo Amorim (Brasil)

32. MSN Music na the Smithsonian Folkways archive – colaboração com arquivos de música e tecnologia – Jon Kertzer (EUA)

33. Conexões Culturais do Sul – Brasil e África Meridional - Roshnie Moonsammy (África do Sul)

34. Música Brasileira: a sedutora musa global – Beco Dranoff (Brasil)

35. Quando o punk encontra o global – Aki Nawaz (Paquistão/Reino Unido)

36. programando artistas internacionais – Tônia Schubert (Brasil)

37. Impasses na cobertura musical na era digital – Israel do Vale (Brasil)

38. As ações do Sesc São Paulo no campo da música e do mercado – Paulo Casale (Brasil)

Showcase

Samba de Côco Raízes de Arcoverde (Pernambuco – Brasil)

Domenico +2 (Rio de Janeiro – Brasil)

Mei tei Sho (França)

Dj Dolores (Pernambuco – Brasil)

Maciel Salú e o Terno do Terreiro (Pernambuco – Brasil)

Helder Vasconcelos e Imaimaná (Pernambuco – Brasil e Colômbia)

Chico Correia e Eletronic Band (Paraíba – Brasil)

Re: Combo (Pernambuco – Brasil)

Orquestra Popular da Bomba do Hemetério (Pernambuco – Brasil)

Cabruêra (Paraíba – Brasil)

La Phaze e Manu Chao (França)

Aki Nawaz (Reino unido)

Conferências

1. O futuro da música independente – Brad Powell (EUA)

2. América do Sul, internet e as músicas do mundo – Jorge Maldonado (México)

3. Incentivando as indústrias criativas em Pernambuco e no Brasil - José Carlos Cavalcanti (Brasil)

4. INEC- International Network e-Communities – Bas Boorsma (Holanda) orris (EUA)

5. O sampler e a composição musical – Filipe Luna (Brasil)

6. Relação gravadoras x telefonia móvel – Gian Ucello (Brasil)

7. Exportação da Música do Brasil – Jerome Vonk (Brasil)

8. Exportação da Música do Brasil – Michel Nicolau / Sérgio Sá Leitão (Brasil)

9. TV e Rádio Cultura – Ney Messias (Brasil)

10. Networking excelente cria redes de excelência – Johannes Theurer (Alemanha)

11. De olho nos prêmios. A experiência da BBC – Alex Webb (Reino Unido)

12. Tintin na terra no Mangue – Jeroen Revalk e Zjakki Willems (Bélgica)

13. Lançando artistas e selos internacionais no Brasil – Alexandre Teiman e Cláudio Silberberg (Brasil)

14. Identificando e realizando parcerias e colaborações culturais – Frank London (EUA)

15. Diversidade cultural e promoção da World Music – Jean-François Michel (França)

16. Guia do Mercado Brasileiro da Música – Marinilda Bertolete (Brasil)

17. Direito do entretenimento no Brasil – Débora Sztanjnberg (Brasil)

18. O artista estrangeiro no Brasil – Toy Lima (Brasil)

19. Overmundo – Hermano Vianna (Brasil)

20. Conteúdo digital sob demanda – Alecandre Matias e Fred Leal (Brasil)

21. Padrões, cultura, conteúdo e convergência digital – Silvio Meira (Brasil)

22. A produção em turnês internacionais – Iran Gomes (Brasil)

23. Metallica, Marilyn Manson e Silvério Pessoa – Peter Hvalkof (Dinamarca)

24. Desenvolvendo a música do Nordeste brasileiro no exterior desde os anos 90 – Marc Régnier (França/Brasil)

25. Música para espiões – Fran Ilich (México)

26. Selos e festivais independentes no Brasil – Fabrício Nobre e Rodrigo Lariú (Brasil)

27. O sucesso do Ano do Brasil na França – Bruno Boulay (França/Brasil)

28. México: uma port para as Américas, um encontro de artes unindo idéias, pessoas, redes e recursos do continente americano – Cristina King Miranda (México)

29. Fazendo negócios com música na África do Sul – David Alexandre (Alemanha)

30. O Sesc São Paulo e a cena musical brasileira – Mônica Carnieto (Brasil)

31. Como sobreviver na indústria de música – Gerald Seligman (EUA)

32. Promovendo artistas no mundo digital com sucesso – Marc Benaiche (Brasil)

33. O passado do futuro – Lu Edmonds (EUA)

34. Olhando Adiante – Geraldo seligman entrevista Lenine (EUA / Brasil)

Showcase

Virgínia Rodrigues (Bahia – Brasil)

Dj Mr. Bongo (Reino Unido)

Bumcello (França)

Alex Sant´Anna (Sergipe – Brasil)

Debayres (Argentina)

DJ Cliffy – Future World Of Funk (Reino Unido)

VJ Yellow (Pernambuco – Brasil)

Bonsucesso Samba Clube (Pernambuco – Brasil)

The Gift (Portugal)

DJs Guga de Castro e Marquinhos – Farra na Casa Alheia (Ceará – Brasil)

VJ Dowling (Paraíba – Brasil)

Isaar (Pernambuco – Brasil)

La Pupuña (Pará – Brasil)

Think Of One – Trafico (Bélgica / Pernambuco- Brasil)

Dj Bruno Pedrosa (Pernambuco – Brasil)

VJ Victor (Paraíba – Brasil)

Conferências

1. Sincronização: oportunidade de negócios para os independentes – Maurício Tagliari (Brasil)

2. Painel : Distribuição – César Prado , Maurício Bussab e João Moreirão (Brasil)

3. Eportação em novos canais de distribuição : Um desafio para a década – Michel Perrin (França/Brasil)

4. Raggae Sunsplash – A transformação : de festival local a marca global – Wayne Sinclair (Jamaica)

5. O Renascimento da música: o fim dos selos como os conhecemos? – Brad Powel (EUA)

6. Rhythm Science – Paul Miller a.k.a. DJ Spooky (EUA)

7. Acesso, autoria e autonomia: dos Netlabels às cooperativas, uma visão das microindústrias de entretenimento – H.D. Mabuse (Brasil)

8. Painel: Qualidade do produto: gravação, digitalização e design – Carlos de Andrade e Mate Lelo (Brasil)

9. Painel: Distribuição digital e novas oportunidades – Pena Schimidt, Beni Goldnberg (Brasil)

10. Apresentando e promovendo a música brasileira fora do Brasil – Jack O´neil (EUA)

11. Go International! Go Global! Como é possível um novo artista fazer sucesso fora do Brasil – Hanna Gorjaczkowska (Bélgica)

12. Estratégias de promoção para a música que atravessa culturas – Dmitri Vietze (EUA)

13. Advogados, armas e dinheiro – William Hochberg (EUA)

14. Música mundial e música digital: navegando num mercado de mudanças – Peter Jenner (Reino Unido)

15. Painel: Festivais de música independentes e economia solidária – Luciano Canez, Dione Manetti , Fabrício Nobre e Ary Moraes (Brasil)

16. Painel: Rede pública de rádio e TV – Israel do Vale, Kiko Ferreira e Gabriel Priolli (Brasil)

17. Gravadoras independentes – um panorama do negócio – João Augusto (Brasil)

18. Capitalizando a Anarquia – Peter Jenner (Reino Unido)

19. Painel: Apoio à música brasileira – Cláudio Jorge, Valéria Barros e Pedro Lapa (Brasil)

20. Painel: Ações para o desenvolvimento da cadeia produtiva da música – Demian Fiocca, Gilberto Gil, Paula Porta e Alfredo Manevy (Brasil)

21. A experiência da música interativa – François Pachet (França)

22. A era de ouro do videoclipe – Alexandre Matias (Brasil)

23. Painel: Estratégias regionais para promoção, difusão e desenvolvimento das indústrias culturais locais – Agustina Peretti (Argentina) e Octavio Arbeláez (Colômbia)

Showcase

Coletivo Rádio Cipó (Pará – Brasil)

Z´África Brasil (Rio de Janeiro – Brasil)

Axel Krieger ( Argentina)

Cabruêra (Paraíba – Brasil)

Autoramas (Rio de Janeiro – Brasil)

Otto (Pernambuco – Brasil)

La Kinky Beat (Espanha)

Axial ( São Paulo – Brasil)

Vulgue Tostoi (Rio de Janeiro – Brasil)

Bossacucanova (Rio de Janeiro – Brasil)

Nation beat + Maracatu Estrela Brilhante (EUA e Brasil)

Anis (França)

Conferências

1. Brasil por dentro. Descobrindo o mercado para artistas estrangeiros - Aluízer Malab (Brasil).

2. Ano da França no Brasil- Bruno Boulay, Moema Salgado e Áurea Leszczynski (Brasil/França).

3. Uma aula de como ser e ter um selo - José da Silva e Gerald Seligman (Angola/França) e (E.U.A)

4. A música brasileira na atualidade. O futuro da indústria fonográfica com o advento das novas tecnologias e meios de comunicação - Nelson Motta (Brasil).

5. Música e transformação cultural- Danilo Santos de Miranda (Brasil).

6. Tudo que você sempre quis saber sobre marketing digital, mas não sabia nem como perguntar – John Ingham (Inglaterra).

7. Organizando para sobreviver. Como a indústria da música se organiza em busca de seus interesses – Tonika Sealy (Caribe)

8. Música e tecnologia no século 21 e o Tocaê, um novo modelo de distribuição de música digital – Pena Schmidt e Eduardo Peixoto com participação de Bruno Firmino (Brasil).

9. Som Barato e o compartilhamento livre de cultura - Bruno Firmino com participação de Pena Schmidt e Eduardo Peixoto (Brasil)

10. As ações do BNDES na Economia da Cultura – BNDES (Brasil)

11. Fazendo shows nos Estados Unidos- James Quinlan e Gene de Souza (E.U.A) e (Brasil/E.U.A)

12. Paixão e Política no Mercado Americano da Música – Brent Grulke (E.U.A)

13. 100 anos de experiência. Dois gigantes da indústria compartilham suas histórias, conhecimentos e pontos de vista – André Midani e Seymour Stein (Síria/França/Brasil) e (E.U.A)

14. Realizando turnês de artistas brasileiros na Europa – Frédéric Gluzman (França).

15. Conferência Final: como reagir à era digital - Especialistas aconselham sobre a indústria da música.

16. Abrafin – números, impactos e projetos futuros – Fabrício Nobre/ Pablo Capilé (Brasil).

17. Rádio Pública 2.0: O papel da rádio pública na promoção das cenas culturais locais – Patrick Torquato (Brasil).

18. Circula Brasil! - Ministério da Cultura (Brasil).

19. Gravar e produzir músicas no atual mundo digital. Será que isso tem futuro? – Jonas Woost (Alemanha).

20. Panorama latino-americano. Visões da música no continente hoje – Benjamim Taubkin (Brasil).

21. O caso “Roberto Carlos em detalhes” e as biografias musicais. Um breve histórico sobre a produção biográfica musical.

22. Ontem... hoje... e o dia depois de amanhã – André Midani (Síria/França/Brasil).

23. A experiência da busca por autonomia no Brasil – caminhos possíveis para não criar – Débora Sztanijberg e Paulo César de Araújo (Brasil).

24. Conferência final: novos modelos da indústria da música - Especialistas internacionais da indústria discutem as opções.

25. Trilha sonora não é música! Do berimbau de boca à nona Sinfonia, passando por tudo que já existiu – Beto Villares (Brasil).

26. Como a música tradicional dos Bálcãs está afetando as pistas de dança na Europa – Robert Soko (Alemanha).

27. O instituto que criou o MP3 apresenta: GlobalMusic2one- Adaptável tecnologia híbrida de procura de catálogos de música – Christian Dittmar (Alemanha)

28. O Plano de Economia da Cultura de Pernambuco através de uma regionalização por meio do Pernambuco Nação Cultural – FUNDARPE/Governo de Pernambuco (Brasil).

Showcase

Burro Morto - PB

Naurêa - SE

Orquestra Contemporânea de Olinda - PE

Dj Set: Patrick Tor4 - BRA

Alessandra Leão – PE

Curumin – SP

Mad Professor – ING

Dj Set: Data – FRA

Chiquinha Gonzaga – PE

Karolinas com K – PE

Hebert Lucena – PE

Josildo Sá – PE

Dj Robert Soko - ALE

Conferências

1. O Encontro da União das Rádios Européias com a Associação Brasileira de Rádios Públicas - Mario Sartorello (ARPUB) e Johannes Theurer (EBU)

2. Toque no Brasil (TNB): A Rede Social de Oportunidades a Música Brasileira - Mariana Soldi e Bruno Poljokan

3. Circuito Sesc de Artes - Sérgio Pinto

4. Unindo Forças! Redes profissionais de música:O que fazer e o que não fazer - Christine Semba

5. Artists Fellows: O ponto de vista dos artistas no atual mercado norte-americano - Benjamim Taubkin

6. A história da Rozemblit: A renovação e o reposicionamento dos antigos catálogos no mercado - Frank Hessing, David Buttle e Lula Côrtes

7. Buenos Aires, o Ingresso ao Mercado Hispano-Americano - Victor Ponieman

8. Intercâmbio cultural Brasil-Holanda - Cees de Bever.

9. A extinção da OMB - Deborah Sztajnberg

10. A música em metamorfose: um mercado em busca de novos modelos de negócio - Marcelo Goldenstein

11. O século do amor e alguns mal entendidos na música da América Latina e França. Do Maxixe a lambada, da rumba a Salsa - Rémy Kolpa Kopoul

12. A conexão Brasil - A América Latina e a Associação dos produtores de festivais - Octavio Arbeláez

13. Sistema Continuator - Aprendendo a tocar através dos Softwares - François Pachet

14. Nordeste Atômico - A música Nordestina Brasileira e o Mercado Japonês - Makoto Kubota

15. O panorama digital na América Latina: Realidade, desafios e potencial - Juan Paz

16. Break on Through (To the Other Side): Os desafios do mercado do Reino Unido/Europeu para artistas brasileiros emergentes - Bryn Ormrod

17. Indústrias Criativas : A idéia por trás do DeltaZero, Base Recife de Indústrias Criativas - Geber Ramalho

18. Pensando uma curadoria brasileira: possibilidades e limites desta ação - Benjamim Taubkin

19. Falando sério, o quanto você conhece a sua música? Pontos fortes e fracos dos dados e gêneros usados no mundo digital moderno - Bettina Schasse de Araújo

20. Grande na América - Passos para entrar no mercado musical americano - Bill Bragin

21. The Echo Nest como plataforma para os sites de referência musical e como entender o futuro da música - Tristan Jehan

22. Pisando em praça de guerra: uma conversa, duas histórias - Siba e Lirinha

23. Integrantes da Rede Música Brasil apresentam seus objetivos e planejamento - Rede Música Brasil

24. Políticas Públicas para a Economia Criativa - Cláudia Leitão

25. Cultura, Conteúdo e Controle: o que a neutralidade da rede tem a ver com isso? - Silvio Meira

26. A música do meu cérebro: um bate-papo sério, mas divertido, sobre memória da música brasileira, mercado fonográfico, discos e demais histórias - Charles Gavin

27. Visões de mercado: Uma troca de idéias Europa: Bryn Ormrod EUA: Bill Bragin América Latina: Octavio Arbalaez Ásia: Makoto Kubota Brasil - Paulo André Pires

Showcase

Fim de Feira - PE

Pouca Chinfra - PE

Catarina Dee Jah - PE

Do Amor - RJ

Orquestra Brasileira de Música Jamaicana - SP

DJ Tudo e sua Gente de Todo Lugar - SP

Lucas Santtana - BA

Luisa Maita - SP

Lindigo - Ilha da Reunião, França

Dj set: DJ RKK (Rémy Kolpa Kopoul) - FRA

Dj set: DJ Kosta Kostov - BUL

Dj Set: Acidophilus (GlobeSonic Sound System) - NY

Conferências

1. Festivais - Peter Hvalkof (Roskilde Festival) - Fruzsina Szep (Sziget Festival) - Jonathas de Vargas (Lollapalooza) - José da Silva (Kriol Jazz Festival) - Danni Colgan (Sydney Festival) - Paulo André Pires (Abril Pro Rock) e Christine Semba

2. Intercâmbio Sul - Antônio Gutierrez (Rec Beat Festival / ADIMI) - Gabriel Turielle (Festival Contrapedal) - Diana Glusberg (Niceto Club) - José da Silva (Kriol Jazz Festival) - Sipho Sithole (Native Rhythms) e Gilberto Monte

3. Speed Meetings - Ralph Christoph (c/o pop Festival (Alemanha)) - Danni Colgan (Sydney Festival (Austrália)) - Jonathas Da Vargas (Lollapalooza Festival / Geo Eventos (Brasil - São Paulo)) - Barry ‘Scratchy’ Myers (DJ (Inglaterra)) - Bryn Omrod (Barbican Center (Inglaterra)) - Paulo André Pires (Astronave / Abril Pro Rock (Brasil - Pernambuco)) - Bettina Schasse (Piranha Label (Alemanha)) - Fruzsina Szep (Sziget Festival (Hungria)) - Alpay Taskin (Manager / Booker (Alemanha)) - Michel Winter / Isabellle van Oost (Mukalo Productions Booking and Management (Bélgica)) - Leo Antunes ( Secretaria de Cultura, Governo de Pernambuco) - Fabrício Nobre ( Secreatria de Cultura, Goiás)

4. O lugar da música nos eventos esportivos internacionais: a realidade - Sipho Sithole (Africa Cup of Nations) - Brynn Ormrod (Barbican Centre) - Jonathas de Vargas (Geo Eventos) - Rosa Santana (SECOPA - Governo de Pernambuco) e Edgar Andrade.

5. Speed Meetings - José Da Silva (Kriol Jazz Festival / Lusafrica (Cabo Verde / França)) - Christian Georgiadis (Bacana Agency (Alemanha/França)) - Diana Glusberg (Niceto Club (Argentina)) - Antonio Gutierrez (Recbeat Festival (Brasil – Pernambuco)) - Melina Hickson (Fina Produçao / Porto Musical (Brasil - Pernambuco)) - Peter Hvalkof (Roskilde Festival / Global Copenhagen (Dinamarca)) - Lewis Robinson (Mais um Disco Label (Inglaterra)) - Gabriel Turielle (Contrapedal (Uruguay)) - Danka van Dodeward (Rasa / Melkweg (Holanda)) - Davide Bortot (Red Bull Music Academy (Inglaterra)) - Daianne Dias (Construtora Produções (Brasil)

6. Agenciamento artístico internacional - Christian Georgiadis

7. TI no gerenciamento de carreiras musicais - Estratégias e Ferramentas - Gabriel Turielle

8. Indústrias Criativas - O case do Rio Criativo - Marcos André Carvalho

9. Como a tecnologia interativa digital pode mudar a indústria da música - Giordano Cabral

10. Futuro da comunicação pública no Brasil - Eduardo Castro e Roger de Renor

11. Sua carreira voltada para o mundo atual e novos padrões e exigências. Danka van Dodewaard

12. Cenários para os negócios criativos em Olinda e Recife - Claudio Marinho

13. A presença da cena musical da Guiana Francesa ou a mistura permanente. - Anthony Hilaire e Jean Pierre

14. A Montanha Russa do negócio da Musica - Projeto ART-e-Fact e as grandes mudanças para a música - Bettina Schasse

15. Red Bull Music Academy apresenta "Cenas locais em uma cultura global" - Zegon, Rodrigo Coelho, Davide Bertot, moderadora: Tathianna Nunes

16. Quando os mundos colidem - O xamanismo musical do rock e as voltas do mundo - Barry 'Scratchy' Myers

17. Sua música no mundo digital, do Napster ao Itunes. - Marcos Chomen

18. "Mais um gringo" lançando a música brasileira internacionalmente - Lewis Robinson

19. Financiando a Economia da Cultura - a atuação pioneira do BNDES - Luciane Gorgulho

20. Passagem para o caótico, o imprevisto, o volátil e o aleatório - Arto Lindsay

Showcase

BIXIGA70 (São Paulo - Brasil)

Grupo Bongar (Pernambuco - Brasil)

Combo X (Pernambuco - Brasil)

Coutto Orchestra de Cabeça (Sergipe - Brasil)

DJ CLICK (Reino Unido)

Dumb and Brass (França)

Felipe Cordeiro (Pará - Brasil)

Maíra Freitas (Rio de Janeiro - Brasil)

Roosevelt (Alemanha)

Zé Manoel (Pernambuco - Brasil)

Arto Lindsay (EUA)

Herbert Lucena (Pernambuco - Brasil)

Buguinha Dub (Pernambuco - Brasil)

DJ Scratchy (Reino Unido)

Contato