Júri de Seleção
showcases e conferências

×

  • Francisco Saboya (Porto Digital)
    Francisco Saboya
    (Porto Digital)
  • Christine Semba (Womex - France / Germany)
    Christine Semba
    (Womex - France / Germany)
  • Melina Hickson
    Melina Hickson
    (Porto Musical / Fina Produção)
  • Paulo André
    Paulo André
    (Abril pro Rock)
  • Gilberto Monte (Voulta)
    Gilberto Monte
    (Voulta)
  • David McLoughlin (Brasil Music Exchange)
    David McLoughlin
    (Brasil Music Exchange)
  • Anderson Foca (DoSol)
    Anderson Foca
    (DoSol)
  • DIANA GLUSBERG
    DIANA GLUSBERG
    (NICETO Club)
  • Alexandre Matias (Trabalho Sujo)
    Alexandre Matias
    (Trabalho Sujo)
  • None
  • None
  • None

EDIÇÃO
2013

clique e confira o PODCAST 2013

O PORTO
MUSICAL

O Porto Musical é o mais importante encontro voltado para os profissionais da música no Brasil. Com seminários, speed-meetings, mesas-redondas e shows, o evento chega neste ano a sua sétima edição na cidade do Recife, em Pernambuco, entre os dias 10 e 13 de dezembro.

Desde sua primeira edição, em 2005, importantes nomes do universo cultural e tecnológico promovem debates e ações transformadoras para os cenários locais, nacionais e internacionais. O Porto Musical reúne artistas, gestores públicos e privados, representantes de selos, gravadoras e instituições culturais em geral, além de pessoas interessadas nas novas tendências do mercado fonográfico.

Um ponto fundamental é a relevância dos convidados e das discussões que são trazidos ao evento. Esse encontro gera não só a qualificação e a evolução do mercado, mas a realização de negócios durante os dias de evento, afirmando um intercâmbio profissional cujo único objetivo é a difusão da música.

Programação – As atividades do Porto Musical ocorrem no Bairro do Recife, área onde se encontra o Porto do Recife e o maior parque de tecnologia do Brasil, o Porto Digital. Sua programação é dividida em três locais.

O Cine Teatro Apolo-Hermilo eh onde ocorrem as conferências e palestras. Já, na Torre Malakoff, ficam as salas de imprensa e produção, além de espaços dedicados à reuniões e encontros. Os showcases, gratuitos, acontecem na Praça do Arsenal da Marinha e visam mostrar ao público as tendências musicais e os rumos que tomam os mercados brasileiro e internacional.

Os chamados speed meetings, por exemplo, são uma oportunidade de criar a interação entre participantes e convidados. Formatados em rápidas conversas individuais, essa prática é responsável por estreitar as relações de negócios entre os profissionais, que podem trabalhar seus produtos com exclusividade.

Histórico - Ao longo das suas seis edições, o Porto Musical ofereceu cerca de 170 conferências, com quase 250 convidados e 80 shows de artistas contemporâneos. Mais de 4.000 profissionais já participaram das conferências e encontros do Porto Musical e mais de 50 mil pessoas assistiram seus shows.

Tomando como exemplo os grupos integrantes da programação da sexta edição do Porto Musical, a banda pernambucana Bongar foi atração convidada da edição 2014 da Womex, maior feira de música do mundo. Inclusive, fez show na AME no Cabo Verde e durante o evento fechou contrato com um agente para representá-los fora do Brasil, importante passo para desenvolver uma carreira internacional. Felipe Cordeiro e a Bixiga 70, também atrações de 2013, entraram na programação do Roskilde Festival após suas apresentações no Porto Musical. São resultados de ações da convenção para estimular a criação de redes de profissionais, trocar conhecimentos, fazer contatos e gerar negócios.

A realização do Porto Musical é assinada pela Fina Produção e Astronave Iniciativas Culturais em cooperação com a própria Womex e o parque tecnológico Porto Digital.

O PORTO Musical E O PORTO Digital

O Porto Digital é um dos pilares da nova economia do Estado de Pernambuco. Atuando em diversos campos do conhecimento, faz uma conexão intelectual com o Porto Musical e se verte numa plataforma multimídia de adesão cultural e criação tecnológica. Seja no desenvolvimento de software e serviços de tecnologias da informação, seja no incentivo à economia criativa, em especial os segmentos de games, linguagens audiovisuais, música, design e fotografia.

Atualmente, o PD abriga 240 empresas e organizações de serviços associados, tres incubadoras de empresas, duas instituições de ensino superior e dois institutos de pesquisa. Também é fundamental pontuar a presença do C.E.S.A.R (Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife), considerado por duas vezes a melhor instituição de Ciência e Tecnologia do País pela FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos do Ministério da Ciência e Tecnologia).

Em 2005, o Porto Digital se tornou o maior parque tecnológico do país, título provido pela consultoria internacional AT Kearney, e ainda foi tido como o melhor do Brasil pela Anprotec (Associação Nacional dos Parques Tecnológicos) nos anos de 2007 e 2011. Essas gratificações garantiram ao Recife um lugar de destaque no circuito tecnológico nacional - fato consumado através da publicação Learning by Sharing. Veiculada em 2008, ela elevou o polo de desenvolvimento tecnológico da Capital Pernambucana ao nível de referência internacional.

A WOMEX E O PORTO MUSICAL

A WOMEX é a convenção internacional mais importante da música mundial. A feira reúne profissionais do mundo de diversas raízes e também inclui concertos, conferências e documentários . Contribui para a rede como um meio eficaz de promoção da música e da cultura de todos os tipos através das fronteiras.

Nascida em Berlim e acontecendo por toda a Europa, a 19 ª edição da WOMEX , em Cardiff , País de Gales , Reino Unido, em outubro de 2013, viu mais de 2.250 delegados de 90 países , 590 empresas expositoras, um programa completo da conferência e um festival vitrine apresentando mais de 60 atos em sete etapas.

Dezenove edições da WOMEX afirmaram o valor do trabalho em rede através das fronteiras, sejam elas musicais, políticas, culturais ou comerciais. Desde 1994 a WOMEX tem viajado por toda a Europa a partir de Berlim (1994), através de Bruxelas (1995) , Marselha (1997), Estocolmo (1998), Berlim (1999 + 2000) , Rotterdam ( 2001) , Essen (2002 + 2004) , Newcastle (2005) , Sevilha (2003 + 2006-2008) , Copenhagen ( 2009-2011) , Thessaloniki (2012 ) e Cardiff ( 2013). A próxima edição da WOMEX terá lugar em Santiago de Compostela, Galiza, Espanha, de quarta-feira 22 a domingo, 26 de outubro de 2014.

Porto Musical é o primeiro Projeto Especial WOMEX, criado em 2005. Estabeleceu-se como uma plataforma de rede importante para todos os profissionais do setor de música.

EDIÇÕES
ANTERIORES

Conferências

1. A distribuição digital da música nas mídia on-line – Marc Benaiche (França)

2. A democratização da música eletrônica na era digital - Ady harley (Reino Unido)

3. Qualifique seu conteúdo – Stefanie Marcus (Alemanha)

4. Música é uma forma de vida? – John Perry Barlow (EUA)

5. Distribuição digital: uma questão de mudança da hábito ou de comportamento? – Felippe Llerena (Brasil)

6. Por dentro do groove digital – Marc Benaiche, Ady Harley, Stefanie Marcus, John Perry Marlow , felippe llerena

7. Tecnologia musical em Pernambuco – Geber Ramalho e Silvio Meira (Brasil)

8. Como obter sucesso no mundo da música – Gerald Seligman (EUA) e Robert Urbanus (Reino Unido)

9. Caranguejos com cérebro: A cena mangue do Recife – Hélder Aragão a.k.a DJ Dolores (Brasil)

10. Relato da evolução da cena eletrônica, através das agências, clubes e festivais – Marcos Boffa (Brasil)

11. A cadeia produtiva da música no Brasil - Luis Carlos Prestes Filho (Brasil)

12. Adquirindo licenças de música para uso online e móvel – Dr. Jur. Martin Schaefer (Alemanha)

13. Inovações tecnológicas e seus reflexos na criação musical e no sistema de regulação de direitos autorais - Caio Mariano (Brasil)

14. The Creative Commons e as novas formas de colaboração criativa – Ronaldo lemos e Cláudio Prado (Brasil)

15. Realizando trunês no Brasil com o Guia do Mercado Brasileiro da Música – Bruno Boulay (França/Brasil)

16. Incentivos Fiscais no Brasil: Fonte de custeio para a música? – Cristiane Olivieri (Brasil)

17. Entendendo a distribuição de música no Brasil – Assuntos-chave da promoção à taxação – Eduardo Muszkat (Brasil)

18. Lançando Artistas estrangeiros (Carlos Eduardo Miranda (Brasil)

19. Como montar um escritório de exportação de música nacional – A experiência de um ano do German Sounds – Peter James (reino Unido / Alemanha)

20. Produtores de discos: Mais barato que terapia? – Bem Mandelson (Reino Unido)

21. Nadando entre tubarões: como construir uma estrutura global para a sua gravadora local – Bettina Schasse de Araújo (Alemanha)

22. A música brasileira na Europa – Jenny Adlington e Jody Gillet (Reino Unido)

23. Festivais franceses e o Ano do Brasil – Bertrand de Laporte (França)

24. As melhores práticas para entrar no mercado norte-americano através de rádio, imprensa, televisão e e-commerce de downloads

digitais – Sean Barlow (EUA)

25. Selos independentes no Brasil, um bom caminho? – Silvio Pellacani (Brasil)

26. O atual desafio do direito autoral no Brasil – Fernando Yasbek (Brasil)

27. ABMI- A rede de independentes brasileiros – Pena Schimidt (Brasil)

28. Re:Combo – Uma experiência na criação coletiva, descentralizada e aberta – H.D. Mabuse (Brasil)

29. A nova indústria cultural e musical na China e na África – Dagfinn Bach (Noruega)

30. Games: uma trilha para a música – André Araújo (Brasil)

31. Cifras virtuais?! Partituras?! Karaokê?! Como ganhar dinheiro com o ensino da música na internet – Américo Amorim (Brasil)

32. MSN Music na the Smithsonian Folkways archive – colaboração com arquivos de música e tecnologia – Jon Kertzer (EUA)

33. Conexões Culturais do Sul – Brasil e África Meridional - Roshnie Moonsammy (África do Sul)

34. Música Brasileira: a sedutora musa global – Beco Dranoff (Brasil)

35. Quando o punk encontra o global – Aki Nawaz (Paquistão/Reino Unido)

36. programando artistas internacionais – Tônia Schubert (Brasil)

37. Impasses na cobertura musical na era digital – Israel do Vale (Brasil)

38. As ações do Sesc São Paulo no campo da música e do mercado – Paulo Casale (Brasil)

Showcase

Samba de Côco Raízes de Arcoverde (Pernambuco – Brasil)

Domenico +2 (Rio de Janeiro – Brasil)

Mei tei Sho (França)

Dj Dolores (Pernambuco – Brasil)

Maciel Salú e o Terno do Terreiro (Pernambuco – Brasil)

Helder Vasconcelos e Imaimaná (Pernambuco – Brasil e Colômbia)

Chico Correia e Eletronic Band (Paraíba – Brasil)

Re: Combo (Pernambuco – Brasil)

Orquestra Popular da Bomba do Hemetério (Pernambuco – Brasil)

Cabruêra (Paraíba – Brasil)

La Phaze e Manu Chao (França)

Aki Nawaz (Reino unido)

Conferências

1. O futuro da música independente – Brad Powell (EUA)

2. América do Sul, internet e as músicas do mundo – Jorge Maldonado (México)

3. Incentivando as indústrias criativas em Pernambuco e no Brasil - José Carlos Cavalcanti (Brasil)

4. INEC- International Network e-Communities – Bas Boorsma (Holanda) orris (EUA)

5. O sampler e a composição musical – Filipe Luna (Brasil)

6. Relação gravadoras x telefonia móvel – Gian Ucello (Brasil)

7. Exportação da Música do Brasil – Jerome Vonk (Brasil)

8. Exportação da Música do Brasil – Michel Nicolau / Sérgio Sá Leitão (Brasil)

9. TV e Rádio Cultura – Ney Messias (Brasil)

10. Networking excelente cria redes de excelência – Johannes Theurer (Alemanha)

11. De olho nos prêmios. A experiência da BBC – Alex Webb (Reino Unido)

12. Tintin na terra no Mangue – Jeroen Revalk e Zjakki Willems (Bélgica)

13. Lançando artistas e selos internacionais no Brasil – Alexandre Teiman e Cláudio Silberberg (Brasil)

14. Identificando e realizando parcerias e colaborações culturais – Frank London (EUA)

15. Diversidade cultural e promoção da World Music – Jean-François Michel (França)

16. Guia do Mercado Brasileiro da Música – Marinilda Bertolete (Brasil)

17. Direito do entretenimento no Brasil – Débora Sztanjnberg (Brasil)

18. O artista estrangeiro no Brasil – Toy Lima (Brasil)

19. Overmundo – Hermano Vianna (Brasil)

20. Conteúdo digital sob demanda – Alecandre Matias e Fred Leal (Brasil)

21. Padrões, cultura, conteúdo e convergência digital – Silvio Meira (Brasil)

22. A produção em turnês internacionais – Iran Gomes (Brasil)

23. Metallica, Marilyn Manson e Silvério Pessoa – Peter Hvalkof (Dinamarca)

24. Desenvolvendo a música do Nordeste brasileiro no exterior desde os anos 90 – Marc Régnier (França/Brasil)

25. Música para espiões – Fran Ilich (México)

26. Selos e festivais independentes no Brasil – Fabrício Nobre e Rodrigo Lariú (Brasil)

27. O sucesso do Ano do Brasil na França – Bruno Boulay (França/Brasil)

28. México: uma port para as Américas, um encontro de artes unindo idéias, pessoas, redes e recursos do continente americano – Cristina King Miranda (México)

29. Fazendo negócios com música na África do Sul – David Alexandre (Alemanha)

30. O Sesc São Paulo e a cena musical brasileira – Mônica Carnieto (Brasil)

31. Como sobreviver na indústria de música – Gerald Seligman (EUA)

32. Promovendo artistas no mundo digital com sucesso – Marc Benaiche (Brasil)

33. O passado do futuro – Lu Edmonds (EUA)

34. Olhando Adiante – Geraldo seligman entrevista Lenine (EUA / Brasil)

Showcase

Virgínia Rodrigues (Bahia – Brasil)

Dj Mr. Bongo (Reino Unido)

Bumcello (França)

Alex Sant´Anna (Sergipe – Brasil)

Debayres (Argentina)

DJ Cliffy – Future World Of Funk (Reino Unido)

VJ Yellow (Pernambuco – Brasil)

Bonsucesso Samba Clube (Pernambuco – Brasil)

The Gift (Portugal)

DJs Guga de Castro e Marquinhos – Farra na Casa Alheia (Ceará – Brasil)

VJ Dowling (Paraíba – Brasil)

Isaar (Pernambuco – Brasil)

La Pupuña (Pará – Brasil)

Think Of One – Trafico (Bélgica / Pernambuco- Brasil)

Dj Bruno Pedrosa (Pernambuco – Brasil)

VJ Victor (Paraíba – Brasil)

Conferências

1. Sincronização: oportunidade de negócios para os independentes – Maurício Tagliari (Brasil)

2. Painel : Distribuição – César Prado , Maurício Bussab e João Moreirão (Brasil)

3. Eportação em novos canais de distribuição : Um desafio para a década – Michel Perrin (França/Brasil)

4. Raggae Sunsplash – A transformação : de festival local a marca global – Wayne Sinclair (Jamaica)

5. O Renascimento da música: o fim dos selos como os conhecemos? – Brad Powel (EUA)

6. Rhythm Science – Paul Miller a.k.a. DJ Spooky (EUA)

7. Acesso, autoria e autonomia: dos Netlabels às cooperativas, uma visão das microindústrias de entretenimento – H.D. Mabuse (Brasil)

8. Painel: Qualidade do produto: gravação, digitalização e design – Carlos de Andrade e Mate Lelo (Brasil)

9. Painel: Distribuição digital e novas oportunidades – Pena Schimidt, Beni Goldnberg (Brasil)

10. Apresentando e promovendo a música brasileira fora do Brasil – Jack O´neil (EUA)

11. Go International! Go Global! Como é possível um novo artista fazer sucesso fora do Brasil – Hanna Gorjaczkowska (Bélgica)

12. Estratégias de promoção para a música que atravessa culturas – Dmitri Vietze (EUA)

13. Advogados, armas e dinheiro – William Hochberg (EUA)

14. Música mundial e música digital: navegando num mercado de mudanças – Peter Jenner (Reino Unido)

15. Painel: Festivais de música independentes e economia solidária – Luciano Canez, Dione Manetti , Fabrício Nobre e Ary Moraes (Brasil)

16. Painel: Rede pública de rádio e TV – Israel do Vale, Kiko Ferreira e Gabriel Priolli (Brasil)

17. Gravadoras independentes – um panorama do negócio – João Augusto (Brasil)

18. Capitalizando a Anarquia – Peter Jenner (Reino Unido)

19. Painel: Apoio à música brasileira – Cláudio Jorge, Valéria Barros e Pedro Lapa (Brasil)

20. Painel: Ações para o desenvolvimento da cadeia produtiva da música – Demian Fiocca, Gilberto Gil, Paula Porta e Alfredo Manevy (Brasil)

21. A experiência da música interativa – François Pachet (França)

22. A era de ouro do videoclipe – Alexandre Matias (Brasil)

23. Painel: Estratégias regionais para promoção, difusão e desenvolvimento das indústrias culturais locais – Agustina Peretti (Argentina) e Octavio Arbeláez (Colômbia)

Showcase

Coletivo Rádio Cipó (Pará – Brasil)

Z´África Brasil (Rio de Janeiro – Brasil)

Axel Krieger ( Argentina)

Cabruêra (Paraíba – Brasil)

Autoramas (Rio de Janeiro – Brasil)

Otto (Pernambuco – Brasil)

La Kinky Beat (Espanha)

Axial ( São Paulo – Brasil)

Vulgue Tostoi (Rio de Janeiro – Brasil)

Bossacucanova (Rio de Janeiro – Brasil)

Nation beat + Maracatu Estrela Brilhante (EUA e Brasil)

Anis (França)

Conferências

1. Brasil por dentro. Descobrindo o mercado para artistas estrangeiros - Aluízer Malab (Brasil).

2. Ano da França no Brasil- Bruno Boulay, Moema Salgado e Áurea Leszczynski (Brasil/França).

3. Uma aula de como ser e ter um selo - José da Silva e Gerald Seligman (Angola/França) e (E.U.A)

4. A música brasileira na atualidade. O futuro da indústria fonográfica com o advento das novas tecnologias e meios de comunicação - Nelson Motta (Brasil).

5. Música e transformação cultural- Danilo Santos de Miranda (Brasil).

6. Tudo que você sempre quis saber sobre marketing digital, mas não sabia nem como perguntar – John Ingham (Inglaterra).

7. Organizando para sobreviver. Como a indústria da música se organiza em busca de seus interesses – Tonika Sealy (Caribe)

8. Música e tecnologia no século 21 e o Tocaê, um novo modelo de distribuição de música digital – Pena Schmidt e Eduardo Peixoto com participação de Bruno Firmino (Brasil).

9. Som Barato e o compartilhamento livre de cultura - Bruno Firmino com participação de Pena Schmidt e Eduardo Peixoto (Brasil)

10. As ações do BNDES na Economia da Cultura – BNDES (Brasil)

11. Fazendo shows nos Estados Unidos- James Quinlan e Gene de Souza (E.U.A) e (Brasil/E.U.A)

12. Paixão e Política no Mercado Americano da Música – Brent Grulke (E.U.A)

13. 100 anos de experiência. Dois gigantes da indústria compartilham suas histórias, conhecimentos e pontos de vista – André Midani e Seymour Stein (Síria/França/Brasil) e (E.U.A)

14. Realizando turnês de artistas brasileiros na Europa – Frédéric Gluzman (França).

15. Conferência Final: como reagir à era digital - Especialistas aconselham sobre a indústria da música.

16. Abrafin – números, impactos e projetos futuros – Fabrício Nobre/ Pablo Capilé (Brasil).

17. Rádio Pública 2.0: O papel da rádio pública na promoção das cenas culturais locais – Patrick Torquato (Brasil).

18. Circula Brasil! - Ministério da Cultura (Brasil).

19. Gravar e produzir músicas no atual mundo digital. Será que isso tem futuro? – Jonas Woost (Alemanha).

20. Panorama latino-americano. Visões da música no continente hoje – Benjamim Taubkin (Brasil).

21. O caso “Roberto Carlos em detalhes” e as biografias musicais. Um breve histórico sobre a produção biográfica musical.

22. Ontem... hoje... e o dia depois de amanhã – André Midani (Síria/França/Brasil).

23. A experiência da busca por autonomia no Brasil – caminhos possíveis para não criar – Débora Sztanijberg e Paulo César de Araújo (Brasil).

24. Conferência final: novos modelos da indústria da música - Especialistas internacionais da indústria discutem as opções.

25. Trilha sonora não é música! Do berimbau de boca à nona Sinfonia, passando por tudo que já existiu – Beto Villares (Brasil).

26. Como a música tradicional dos Bálcãs está afetando as pistas de dança na Europa – Robert Soko (Alemanha).

27. O instituto que criou o MP3 apresenta: GlobalMusic2one- Adaptável tecnologia híbrida de procura de catálogos de música – Christian Dittmar (Alemanha)

28. O Plano de Economia da Cultura de Pernambuco através de uma regionalização por meio do Pernambuco Nação Cultural – FUNDARPE/Governo de Pernambuco (Brasil).

Showcase

Burro Morto - PB

Naurêa - SE

Orquestra Contemporânea de Olinda - PE

Dj Set: Patrick Tor4 - BRA

Alessandra Leão – PE

Curumin – SP

Mad Professor – ING

Dj Set: Data – FRA

Chiquinha Gonzaga – PE

Karolinas com K – PE

Hebert Lucena – PE

Josildo Sá – PE

Dj Robert Soko - ALE

Conferências

1. O Encontro da União das Rádios Européias com a Associação Brasileira de Rádios Públicas - Mario Sartorello (ARPUB) e Johannes Theurer (EBU)

2. Toque no Brasil (TNB): A Rede Social de Oportunidades a Música Brasileira - Mariana Soldi e Bruno Poljokan

3. Circuito Sesc de Artes - Sérgio Pinto

4. Unindo Forças! Redes profissionais de música:O que fazer e o que não fazer - Christine Semba

5. Artists Fellows: O ponto de vista dos artistas no atual mercado norte-americano - Benjamim Taubkin

6. A história da Rozemblit: A renovação e o reposicionamento dos antigos catálogos no mercado - Frank Hessing, David Buttle e Lula Côrtes

7. Buenos Aires, o Ingresso ao Mercado Hispano-Americano - Victor Ponieman

8. Intercâmbio cultural Brasil-Holanda - Cees de Bever.

9. A extinção da OMB - Deborah Sztajnberg

10. A música em metamorfose: um mercado em busca de novos modelos de negócio - Marcelo Goldenstein

11. O século do amor e alguns mal entendidos na música da América Latina e França. Do Maxixe a lambada, da rumba a Salsa - Rémy Kolpa Kopoul

12. A conexão Brasil - A América Latina e a Associação dos produtores de festivais - Octavio Arbeláez

13. Sistema Continuator - Aprendendo a tocar através dos Softwares - François Pachet

14. Nordeste Atômico - A música Nordestina Brasileira e o Mercado Japonês - Makoto Kubota

15. O panorama digital na América Latina: Realidade, desafios e potencial - Juan Paz

16. Break on Through (To the Other Side): Os desafios do mercado do Reino Unido/Europeu para artistas brasileiros emergentes - Bryn Ormrod

17. Indústrias Criativas : A idéia por trás do DeltaZero, Base Recife de Indústrias Criativas - Geber Ramalho

18. Pensando uma curadoria brasileira: possibilidades e limites desta ação - Benjamim Taubkin

19. Falando sério, o quanto você conhece a sua música? Pontos fortes e fracos dos dados e gêneros usados no mundo digital moderno - Bettina Schasse de Araújo

20. Grande na América - Passos para entrar no mercado musical americano - Bill Bragin

21. The Echo Nest como plataforma para os sites de referência musical e como entender o futuro da música - Tristan Jehan

22. Pisando em praça de guerra: uma conversa, duas histórias - Siba e Lirinha

23. Integrantes da Rede Música Brasil apresentam seus objetivos e planejamento - Rede Música Brasil

24. Políticas Públicas para a Economia Criativa - Cláudia Leitão

25. Cultura, Conteúdo e Controle: o que a neutralidade da rede tem a ver com isso? - Silvio Meira

26. A música do meu cérebro: um bate-papo sério, mas divertido, sobre memória da música brasileira, mercado fonográfico, discos e demais histórias - Charles Gavin

27. Visões de mercado: Uma troca de idéias Europa: Bryn Ormrod EUA: Bill Bragin América Latina: Octavio Arbalaez Ásia: Makoto Kubota Brasil - Paulo André Pires

Showcase

Fim de Feira - PE

Pouca Chinfra - PE

Catarina Dee Jah - PE

Do Amor - RJ

Orquestra Brasileira de Música Jamaicana - SP

DJ Tudo e sua Gente de Todo Lugar - SP

Lucas Santtana - BA

Luisa Maita - SP

Lindigo - Ilha da Reunião, França

Dj set: DJ RKK (Rémy Kolpa Kopoul) - FRA

Dj set: DJ Kosta Kostov - BUL

Dj Set: Acidophilus (GlobeSonic Sound System) - NY

Conferências

1. Festivais - Peter Hvalkof (Roskilde Festival) - Fruzsina Szep (Sziget Festival) - Jonathas de Vargas (Lollapalooza) - José da Silva (Kriol Jazz Festival) - Danni Colgan (Sydney Festival) - Paulo André Pires (Abril Pro Rock) e Christine Semba

2. Intercâmbio Sul - Antônio Gutierrez (Rec Beat Festival / ADIMI) - Gabriel Turielle (Festival Contrapedal) - Diana Glusberg (Niceto Club) - José da Silva (Kriol Jazz Festival) - Sipho Sithole (Native Rhythms) e Gilberto Monte

3. Speed Meetings - Ralph Christoph (c/o pop Festival (Alemanha)) - Danni Colgan (Sydney Festival (Austrália)) - Jonathas Da Vargas (Lollapalooza Festival / Geo Eventos (Brasil - São Paulo)) - Barry ‘Scratchy’ Myers (DJ (Inglaterra)) - Bryn Omrod (Barbican Center (Inglaterra)) - Paulo André Pires (Astronave / Abril Pro Rock (Brasil - Pernambuco)) - Bettina Schasse (Piranha Label (Alemanha)) - Fruzsina Szep (Sziget Festival (Hungria)) - Alpay Taskin (Manager / Booker (Alemanha)) - Michel Winter / Isabellle van Oost (Mukalo Productions Booking and Management (Bélgica)) - Leo Antunes ( Secretaria de Cultura, Governo de Pernambuco) - Fabrício Nobre ( Secreatria de Cultura, Goiás)

4. O lugar da música nos eventos esportivos internacionais: a realidade - Sipho Sithole (Africa Cup of Nations) - Brynn Ormrod (Barbican Centre) - Jonathas de Vargas (Geo Eventos) - Rosa Santana (SECOPA - Governo de Pernambuco) e Edgar Andrade.

5. Speed Meetings - José Da Silva (Kriol Jazz Festival / Lusafrica (Cabo Verde / França)) - Christian Georgiadis (Bacana Agency (Alemanha/França)) - Diana Glusberg (Niceto Club (Argentina)) - Antonio Gutierrez (Recbeat Festival (Brasil – Pernambuco)) - Melina Hickson (Fina Produçao / Porto Musical (Brasil - Pernambuco)) - Peter Hvalkof (Roskilde Festival / Global Copenhagen (Dinamarca)) - Lewis Robinson (Mais um Disco Label (Inglaterra)) - Gabriel Turielle (Contrapedal (Uruguay)) - Danka van Dodeward (Rasa / Melkweg (Holanda)) - Davide Bortot (Red Bull Music Academy (Inglaterra)) - Daianne Dias (Construtora Produções (Brasil)

6. Agenciamento artístico internacional - Christian Georgiadis

7. TI no gerenciamento de carreiras musicais - Estratégias e Ferramentas - Gabriel Turielle

8. Indústrias Criativas - O case do Rio Criativo - Marcos André Carvalho

9. Como a tecnologia interativa digital pode mudar a indústria da música - Giordano Cabral

10. Futuro da comunicação pública no Brasil - Eduardo Castro e Roger de Renor

11. Sua carreira voltada para o mundo atual e novos padrões e exigências. Danka van Dodewaard

12. Cenários para os negócios criativos em Olinda e Recife - Claudio Marinho

13. A presença da cena musical da Guiana Francesa ou a mistura permanente. - Anthony Hilaire e Jean Pierre

14. A Montanha Russa do negócio da Musica - Projeto ART-e-Fact e as grandes mudanças para a música - Bettina Schasse

15. Red Bull Music Academy apresenta "Cenas locais em uma cultura global" - Zegon, Rodrigo Coelho, Davide Bertot, moderadora: Tathianna Nunes

16. Quando os mundos colidem - O xamanismo musical do rock e as voltas do mundo - Barry 'Scratchy' Myers

17. Sua música no mundo digital, do Napster ao Itunes. - Marcos Chomen

18. "Mais um gringo" lançando a música brasileira internacionalmente - Lewis Robinson

19. Financiando a Economia da Cultura - a atuação pioneira do BNDES - Luciane Gorgulho

20. Passagem para o caótico, o imprevisto, o volátil e o aleatório - Arto Lindsay

Showcase

BIXIGA70 (São Paulo - Brasil)

Grupo Bongar (Pernambuco - Brasil)

Combo X (Pernambuco - Brasil)

Coutto Orchestra de Cabeça (Sergipe - Brasil)

DJ CLICK (Reino Unido)

Dumb and Brass (França)

Felipe Cordeiro (Pará - Brasil)

Maíra Freitas (Rio de Janeiro - Brasil)

Roosevelt (Alemanha)

Zé Manoel (Pernambuco - Brasil)

Arto Lindsay (EUA)

Herbert Lucena (Pernambuco - Brasil)

Buguinha Dub (Pernambuco - Brasil)

DJ Scratchy (Reino Unido)

CONTATO